Edit Template

Devemos eliminar o glúten da nossa alimentação?

Dizem que faz mal, que não o digerimos bem, que é inflamatório, que engorda. Mas será que é mesmo tudo verdade? E se assim é, toda a gente deveria retirar o glúten da sua alimentação?

Antes de mais, é importante saber do que estamos a falar. O glúten é um conjunto de proteínas insolúveis que encontramos nos grãos de trigo, centeio e cevada. É o glúten que confere à massa de pães, pizzas, bolos, bolachas e outros alimentos, a consistência viscosa e elástica que as faz crescer, esticar e não partir.

A eliminação do glúten da alimentação é necessária para quem vive com doença celíaca (doença crónica, autoimune, sem cura, na qual o glúten desencadeia uma resposta inflamatória no intestino delgado, originando a progressiva destruição da mucosa intestinal e a diminuição da capacidade de absorção dos nutrientes) ou sensibilidade/intolerância ao glúten (caracterizada por sintomas como distensão e dor abdominal, diarreia ou obstipação e dificuldades digestivas, mas sem resposta autoimune e destruição da mucosa intestinal).

Não existem evidências claras dos benefícios de uma dieta sem glúten para pessoas sem estes diagnósticos. No entanto, sabe-se que o glúten é tendencialmente inflamatório e que uma exposição recorrente pode desencadear respostas do sistema imunitário, sugerindo que os produtos com glúten devem ser consumidos em moderação.

Muitas pessoas eliminam o glúten da alimentação com o objetivo de perder peso. Na realidade, deixar de consumir glúten só por si não emagrece. O que acontece é que as pessoas que experimentam uma dieta sem glúten tendem a excluir, como consequência, muitos alimentos com hidratos de carbono e a comer mais conscientemente, promovendo uma possível (mas não obrigatória) perda de peso.

Em qualquer dos casos, é preciso ter em conta que sem glúten não significa necessariamente mais saudável. Na grande maioria dos produtos fabricados sem glúten são usadas farinhas de elevado índice glicémico, açúcares refinados e gorduras saturadas na tentativa de obter produtos similares aos que contêm glúten. O melhor é optar por alimentos o menos processados possível, ter atenção à lista de ingredientes e cozinhar os nossos próprios alimentos sem glúten com ingredientes de qualidade.

É ainda importante lembrar que quando deixamos de consumir algo por conter glúten, estamos a restringir o acesso aos restantes benefícios que o alimento pode conter (fibra, outros nutrientes, etc).

Considerando a complexidade do tema, se sentes que tens algum problema com o glúten, aconselha-te com um especialista antes de o retirares completamente da tua alimentação. Há mudanças que é melhor fazer com acompanhamento, e esta é uma delas.

Share this post...

Edit Template
Edit Template
Translate »